Histórico


Esta unidade iniciou suas atividades em 15 de abril de 1948, em prédio próprio, com o nome de Escola SENAI do Ipiranga, sendo inaugurada oficialmente, em 25 de maio de 1949, data do 1º aniversário da morte do saudoso Dr. Roberto Simonsen, o idealizador do SENAI.  Em 26 de setembro de 1952 recebeu como patrono da escola o Dr. Oscar Rodrigues Alves denominação que passou a ser dada a esta unidade como justa homenagem ao eminente brasileiro e expoente da indústria e aquele que foi de 1942 a 1947, o primeiro e ilustre Presidente do Conselho Regional do SENAI em São Paulo.
Ao longo do tempo, a escola trabalhou com ocupações de áreas diversificadas, oferecendo cursos de tecelão de algodão, tecelão de lã, tecelão de seda, fiandeiro de algodão, mecânico de automóveis, torneiro mecânico, ajustador mecânico, fundidor moldador, reparador de aparelhos eletrodomésticos, soldador eclético, serralheiro e modelador de fundição.

 

      Em 22 de julho de 1957, começou a funcionar na escola a oficina de fundição com 2 seções: a de moldação e a de modelação. Durante a existência do curso de fundidor moldador, até 1972, funcionou como fornecedora de peças fundidas para toda a rede SENAI – SP.  Além disso, produzia todas as peças fundidas específicas da Série Metódica de Mecânica Geral, que ficavam à disposição da rede, no Almoxarifado Central.
     Em 1969, um acordo, do SENAI com o Departamento Nacional de Mão-de-Obra (DNMO), transformou o setor de solda da escola em centro para formação intensiva de mão-de-obra para adultos desempregados. Só em 1975, voltou às atividades escolares típicas de rede.
No início da década de 70, a escola já oferecia treinamentos de refrigeração residencial.
      Desde o início dos anos de 1990 a escola passou a especializar-se na área de Refrigeração e Ar Condicionado. Para tanto, a escola buscou a parceria com a ABRAVA (Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento), o Sindratar (Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento de Ar no Estado de São Paulo), o IBF (Instituto Brasileiro do Frio) e a ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). Pretendia-se formar um profissional que dominasse as técnicas que envolviam o projeto, a construção e a manutenção de máquinas e equipamentos industriais de refrigeração e também capaz de prestar assessoria e consultoria às empresas que carecessem deste tipo de mão-de-obra.
Inicialmente, pelo Parecer CEE nº. 1.954/91 foi aprovado o Plano de Curso e autorizado o funcionamento do Curso de Qualificação Profissional IV, habilitação profissional plena de Refrigeração e Ar Condicionado, com duração de seis semestres letivos e carga horária total de 3.900 horas-aula, sendo 3.000 horas-aula de fase escolar e 900 horas de estágio supervisionado.
Em 1993, pelo Parecer CEE nº. 552/93 foram aprovados os Planos de Curso e autorizados a funcionar os Cursos de Qualificação Profissional III, com as seguintes habilitações parciais:
• Assistente técnico de refrigeração e ar condicionado residencial;
• Assistente técnico de refrigeração comercial;
• Assistente técnico de ar condicionado e ventilação;
• Assistente técnico de refrigeração e ar condicionado automotivo terrestre;
• Assistente técnico de refrigeração industrial.
A denominação Curso de Qualificação Profissional III e IV e as expressões “habilitação parcial e “habilitação plena” decorrem da legislação educacional vigente à época de implantação dos citados cursos, ou seja, Lei Federal nº. 5.692/71 e Deliberação CEE nº. 23/83.
     Em 1995 foi implantado o curso para Mecânica de Refrigeração e Ar Condicionado – Refrigeração Doméstica na modalidade de educação a distância. Dois anos depois, seria lançado o  novo módulo pelo sistema de Auto Instrução com Monitoria (AIM).
       Esta Escola SENAI conta com uma área de 7.111m², alojando os laboratórios especializados em Automação aplicada (CLP), Eletricidade, Termofluidomecânica, Desenho Técnico e auto CAD, Informática.
Oficinas: Refrigeração Residencial, Condicionador de Ar Residencial, Brasagem, Instalação de Split, Instalação de câmara frigorifica, Climatização, Refrigeração comercial, Refrigeração Industrial e Climatização Automotiva.
A partir de 1999, tendo em vista a Lei Federal nº. 9.394/96 e o Decreto Federal nº. 2.208/97, o Departamento Regional do SENAI de São Paulo estabeleceu por meio da Portaria DR nº. 710/99, novas diretrizes institucionais para a educação profissional.
De acordo com as novas diretrizes, o curso passou a ser oferecido em quatro semestres letivos, com carga horária total de 1.800 horas-aula, sendo 1.200 horas-aula de fase escolar e 600 horas de estágio supervisionado, suprimindo-se a oferta das qualificações profissionais.
A partir do ano de 2001, em decorrência das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação profissional de nível técnico, instituídas pelo Parecer CNE/CEB nº. 16/99 e Resolução CNE/CEB nº. 4/99, o curso Técnico em Refrigeração e Climatização foi reformulado, destacando-se as seguintes alterações:
Área profissional: Indústria
Habilitação e carga horária: Técnico em Refrigeração e Climatização, com carga horária total de 1.600 horas, sendo 1.200 horas de fase escolar e 400 horas de estágio supervisionado.
Qualificações profissionais de nível técnico e carga horária:
- Instalador e mantenedor em refrigeração e condicionamento de ar residencial, com 300 horas;
- Instalador e mantenedor em climatização, com 600 horas;
- Instalador e mantenedor em refrigeração comercial e industrial, com 600 horas.
Para atender os alunos que não têm acesso à Escola, quer por problemas de distância e moradia, quer por indisponibilidade de tempo, a Escola lançou o curso de Mecânico de Refrigeração Doméstica na modalidade de Ensino a Distância no ano de 1995. Este curso deverá integrar uma série de outros, na mesma modalidade, em todas as áreas de Refrigeração e Climatização. Atualmente a escola oferta, em parceria com a Administração Central, os cursos de: Introdução à Mecânica de Refrigeração, Mecânica de Refrigeração Doméstica e Mecânico de Condicionador de Ar Residencial. Procurando atender a demanda e complementar o itinerário dos programas existentes, no ano de 2008, a escola, em parceria com a Administração Central, estruturou o curso de Condicionadores de Ar tipo Split (em fase de validação – turma piloto) na modalidade de Educação a Distância. A partir de 2010, a modalidade Educação a Distância passou a atender na Unidade Escolar na Região do Brás (CFP 1.07).
Procurando atender outras necessidades imediatas e específicas de formação de mão-de-obra para empresas industriais e outros clientes, o SENAI-SP também possui duas “escolas móveis” para atender esse setor: ”Refrigeração e Ar Condicionado (residencial – comercial) e Refrigeração e Ar Condicionado (Climatização Veicular). Por suas características – ambientes de ensino sobre rodas (oficinas, laboratórios, salas de aula) – as Escolas Móveis do SENAI-SP têm flexibilidade para atingir localidades de todo o Estado, atendendo dessa forma, regiões que não possuem Unidades SENAI ou localidades cujas Escolas SENAI não desenvolvem as programações solicitadas pelas empresas ou entidades interessadas.
Ainda em 2008, alinhada as orientações do Departamento Regional, a Escola desenvolveu a articulação com o SESI, ofertando curso técnico aos alunos matriculados no ensino médio do SESI.
   Atenta às inovações tecnológicas e transformações na organização da produção, que contribuíram na evolução das competências requeridas pelo mercado de trabalho, a Escola, juntamente com seus parceiros da área (Associação, Sindicato, Empresas e Comunidade), tem refletido seu modelo de Formação Profissional, a fim de manter-se continuamente como centro de referência em Formação Profissional em Refrigeração e Climatização. Daí se percebeu a necessidade da criação de um curso, destinado a iniciação profissional do menor aprendiz ao mercado de trabalho, implantando o Curso de Aprendizagem Industrial Mecânico de Refrigeração e Climatização, com o início das atividades em Janeiro de 2009. Os alunos devem ser concluintes do ensino fundamental ou matriculado em cursos que lhes permitam concluir esse nível de ensino até a data de início das aulas. O Curso de Aprendizagem Industrial Mecânico de Refrigeração e Climatização deve atender as leis 10.097/2000 e 11.180/2005, e têm como objetivo a ênfase nas tecnologias de mecânica de refrigeração e climatização, responsável por montar, instalar e por em funcionamento equipamentos de refrigeração residencial, comercial e climatização, realizando análises, ajustes de performance, detectando e corrigindo falhas de origem elétrica e mecânica, de acordo com desenhos técnicos, projetos e normas técnicas, em condições de qualidade, segurança e preservação ambiental.
   O curso tem 800 horas de duração, desenvolvido em 1 ano, no período da tarde das 13h às 17h.
       As inscrições serão abertas a candidatos indicados por empresas contribuintes do SENAI-SP que tenham Ensino Fundamental concluído, com 14 anos completos na data de início do curso e, no máximo, idade que permita concluir o curso antes de completar 24 anos. As vagas excedentes serão oferecidas a candidatos da comunidade com Ensino Fundamental concluído, com 14 anos completos na data de início do curso e, no máximo, idade que permita concluir o curso antes de completar 18 anos.
Obs: Contribuem para o SENAI todas as empresas classificadas com codificação 507 ou 833 no Campo FPAS da GFIP.
Os estabelecimentos são obrigados a empregar e matricular número de aprendizes equivalentes a 5%, no mínimo e 15% no máximo, dos trabalhadores existentes em cada estabelecimento, cujas funções demandem formação profissional (Decreto nº. 5.598/2005).
Em 2009, mesmo enfrentando as dificuldades pelas quais passaram as indústrias de praticamente todos os setores produtivos da economia no Brasil, os setores de refrigeração, ar condicionado, ventilação e aquecimento (HVAC-R) apresentaram crescimento contínuo seja no mercado interno, ou na participação no comércio exterior.
Para os próximos anos o mercado de refrigeração e climatização é promissor. As expectativas e perspectivas são excelentes e apontam que os “setores clientes” do HVAC-R, como por exemplo: construção civil, automobilística, têxtil e confecção, farmacêutico, produtos médico-hospitalares, shopping centers, supermercados e hotelaria, traçam cenários econômicos muito favoráveis.
Em 2010 a demanda não parou de crescer sendo motivada, principalmente, pela necessidade de geração e melhoria da infraestrutura industrial, de logística de armazenagem e transporte, de construção civil e produção de energia, dentre outros fatores.
Essa população é clientela potencial do CFP 1.08 que atende, na grande maioria, as necessidades das empresas prestadoras de serviços (micro e pequenas empresas), que buscam soluções no campo tecnológico para instalação, manutenção, operação e controle de sistemas de refrigeração e climatização.
A abrangência desta unidade é estadual, porém, devido a sua especialização e reconhecimento do setor, atende o Território Nacional.
Com base no Plano Estratégico e orientações da DITEC, a escola realizou a ampliação de matrículas do Curso Técnico de Janeiro de 2009 até o ano de 2011, e também a oferta gratuita, no período manhã e tarde, os cursos de Formação Inicial Continuada nas áreas de Refrigeração, Climatização, Informática e Logística, conforme previsão.
Considerando as novas necessidades apresentadas pelo mercado de trabalho, iniciou-se a reestruturação do Curso Técnico por Competência no ano de 2009, replanejando sua implantação para o 2º Semestre de 2012. A implantação do Curso Técnico por Competência terá início em Janeiro de 2013. E ainda ampliamos o Curso Técnico em 1 turma no período noturno com entrada cada dois anos, ou seja, uma turma por curso.

Exportar Calendário


Você pode exportar os eventos da escola para o Apple iCal, Microsoft Outlook ou Google Calendar.

Fechar